Tenho arritmia cardíaca. Será que posso me exercitar?

Tenho arritmia. Posso me exercitar?
Pratique esportes ou outros exercícios físicos com orientação de seu médico

Se seu médico te disse que você tem arritmia cardíaca, não se sinta sozinho, pois esta condição é bastante comum. No Brasil, 20 milhões de pessoas apresentam algum tipo de alteração no ritmo e na velocidade dos batimentos cardíacos, segundo a Sociedade Brasileira de Arritmia Cardíaca (SOBRAC) 1.

As arritmias podem atingir qualquer pessoa, independentemente da idade, sexo ou condição física, incluindo recém-nascidos, jovens saudáveis e até mesmo atletas1. No entanto, os casos são mais comuns em pessoas mais velhas e nos portadores de doenças cardiovasculares, como hipertensos ou pessoas que já tiveram um infarto 2.

Apesar disso, fique sabendo que ter arritmia não é motivo para ser sedentário, pelo contrário, a atividade física leve a moderada pode proteger o coração5 e até mesmo melhorar a função cardíaca. Consequentemente, os exercícios físicos podem proporcionar uma melhor qualidade de vida para quem apresenta arritmias. 3,4.

Mas lembre-se de que é fundamental buscar orientação de um especialista antes de começar qualquer prática esportiva.1,2,5 Um médico cardiologista vai autorizar ou não a prática de exercícios e determinar a intensidade, frequência e tempo adequados para cada pessoa.6

Caso o seu médico autorize os exercícios, um profissional de educação física também pode te ajudar a encontrar o treinamento ou atividade mais adequada, de acordo com seu nível de condicionamento físico e estado de saúde em geral. 5,6

Que tipo de exercício posso fazer?

Os chamados exercícios “aeróbicos”, mas com baixa intensidade, são os mais recomendados para quem têm arritmia cardíaca. 5,6 Mas o que são exercícios aeróbicos? São aqueles que trabalham e movimentam os músculos de uma forma contínua e ritmada, por exemplo, caminhadas, ciclismo, dança, natação, hidroginástica, ioga, ou até mesmo subir escadas e atividades cotidianas como passear com o cachorro e limpar a casa. Após avaliação do seu médico, ele poderá lhe ajudar a decidir quais atividades serão mais apropriadas para você.

Mas como devo me exercitar?2,5

Algumas dicas podem ser importantes para que você tire melhor proveito dos exercícios físicos:

  • Escolha a hora do dia em que se sente mais disposto;
  • Se for caminhar, escolha um tênis adequado e confortável;
  • Não se exercite imediatamente após as refeições. Espere pelo menos uma hora;
  • Não faça exercício em jejum;
  • Evite se exercitar quando estiver muito calor ou frio, ou quando a umidade relativa do ar estiver muito baixa;
  • Mantenha sua atividade em ritmo lento e constante;
  • A companhia de outra pessoa estimula a continuidade da prática e é mais prazerosa.

Quando devo interromper a prática de atividade física? 1,2,4,5

Quando devo interromper a prática de atividade física? 1,2,4,5
Caso apresente um dos sintomas abaixo, reduza ou deixe de fazer os exercícios e procure conversar com seu médico:

  • Dor ou aperto no tórax;
  • Falta de fôlego que o impeça de dizer uma frase completa;
  • Falta de ar que não melhora ao diminuir ou interromper os exercícios;
  • Vertigem, tontura ou sensação de desmaio;
  • Palidez;
  • Dor que irradia para os braços, ombros, pescoço ou mandíbula;
  • Batimento cardíaco fora de ritmo, palpitações;
  • Coração acelerado;
  • Sensação de cansaço extremo;
  • Sensação de febre, gripe ou mal-estar;
  • Suor excessivo, além do habitual;
  • Suor frio repentino;
  • Náusea e vômito.

Não se esqueça de manter seu tratamento em dia e pratique esportes ou outros exercícios físicos com tranquilidade após conversar e ser orientado pelo seu médico. Cuide do seu coração!

Referências:

  1. SOBRAC – Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas. (homepage na internet). Campanha coração na batida certa: Brasil em ação pela prevenção e tratamento das arritmias cardíacas e morte súbita. Publicado em 14/01/2019. [Acesso em 28/01/2021]. Disponível em: https://sobrac.org/publico-geral/?p=4848 2.
  2. Andrade, LCV. Boas práticas clínicas em cardiologia. Fibrilação Atrial. HCOr. PROADI-SUS e American Heart Association. [Acesso em 28/01/2021]. Disponível em:
    http://cardiol.br/boaspraticasclinicas/ferramentas/paciente/modelo-bpc/FolhetoFibrilArterial2.pdf
  3. SOBRAC (Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas) Por dentro da Fibrilação Atrial. Publicado em 14/01/2019 [Acesso em 28/01/2021]. Disponível em: https:// sobrac.org/publico-geral/?p=4852
  4. Smart, NA; King, N; Lambert, JD et al. Exercise-based cardiac rehabilitation improves exercise capacity and health-related quality of life in people with atrial fibrillation: a systematic review and meta-analysis of randomised and nonrandomised trials. Open Heart. 2018;5(2): e000880. Dec 20,2018.
  5. Arrhythmia Alliance (homepage na internet) Atrial Fibrillation (AF) Fact File – Booklet. [Acesso em 28/01/2021]. Disponível em: www.heartrhythmalliance.org/aa/uk/patient-booklets
  6. Arrhythmia Alliance (homepage na internet) What is an arrhythmia? [Acesso em 28/01/2021]. Disponível em: https://www.heartrhythmalliance.org/aa/uk/what-isan-arrhythmia

Material destinado ao público em geral.

Fevereiro/2021

BRZ2169894