Mitos e verdades

Mitos e verdades sobre a Enxaqueca

  • Analgésicos curam a enxaqueca.
        MITO. Pelo contrário, o uso indiscriminado e abusivo de analgésicos é um dos fatores responsáveis pela cronicidade da enxaqueca, tornando as crises mais frequentes e intensas.
  • É necessária a realização de exames de imagens para o diagnóstico.
        MITO. O diagnóstico da enxaqueca é clínico, baseado exclusivamente em critérios presentes na Classificação Internacional de Cefaleias.
  • A enxaqueca está relacionada a problemas na visão.
        MITO. Embora o déficit de refração possa funcionar como fator deflagrador, não é sua causa.
  • A prática de atividade física previne crises de enxaqueca.
        VERDADE. A prática de exercícios regulares, fora dos períodos de crise, pode sim funcionar como fator de melhora na frequência e na intensidade das crises.
  • Quem tem enxaqueca não pode comer chocolate ou tomar vinho e café.
        MITO E VERDADE. Alguns pacientes podem ter suas crises desencadeadas pelo vinho, chocolate ou café, outros não. Portanto, é importante identificar os alimentos que desencadeiam crises e evitar seu consumo.
  • As mulheres são as que mais sofrem com enxaqueca.
        VERDADE. Por questões hormonais, as mulheres têm maior prevalência de enxaqueca. Após a puberdade, a doença afeta cerca de 18% das mulheres e 6% dos homens, com pico de prevalência entre 25 e 55 anos de idade.
  • A enxaqueca é uma doença hereditária.
        VERDADE. Há indícios de que muitos pacientes com enxaqueca, em especial na sua forma mais grave, têm predisposição genética para a doença. Ou seja, herdaram da mãe, do pai, ou de ambos características genéticas que levam à enxaqueca.
  • A enxaqueca não tem cura, mas tem tratamento.
        VERDADE. Embora ainda não seja possível banir a enxaqueca definitivamente da vida das pessoas, as terapias atuais já conferem alívio duradouro às crises, proporcionando uma qualidade de vida bastante satisfatória aos seus portadores.
  • Quem tem enxaqueca não pode se expor ao sol.
        MITO. O que se observa é que pacientes com enxaqueca apresentam intolerância à luz, especialmente nos períodos de crise.
  • As crises de enxaqueca desaparecem durante a gestação.
        MITO E VERDADE. No período gestacional, a maioria das pacientes, por questões hormonais, apresenta melhora na frequência e intensidade das crises. Porém, em alguns casos, as crises persistem ou até mesmo pioram.

Referências bibliográficas

FUKUI et al., 2008; LEIRA; RODRÍGUEZ, 1996; MILLICHAP; YEE, 2003; VAUGHAN, 2008.

DIENER et al., 2005.


Redação e Colaboradores

Redação:

Andrea Luna Jornalista MTB: 45.172

Colaboradores:
Dr. Mauro Eduardo Jurno Coordenador do Departamento Científico de Cefaleia da Academia Brasileira de Neurologia.
Daniela Cierro Nutricionista – CRN 3 8790 Consultora da Associação Brasileira de Nutrição.

Material destinado aos usuários do website do programa a:care

BRZ2171401 – REVISADO EM Dez/2020

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao decidir continuar a navegar neste site, você concorda em aceitar o uso de cookies pela Abbott, consulte nossa Política de Privacidade para obter mais informações. Verifique também a atualização do Regulamento do Programa e nossos Termos e Condições.
Sim, concordo
Política de Privacidade