Hipotireoidismo

Tireoide

O organismo conta com uma glândula localizada no pescoço chamada tireoide. Ela é responsável por produzir T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina), hormônios que controlam a atividade dos órgãos vitais e interferem no ciclo menstrual, no raciocínio, no peso, na força muscular e no trabalho do intestino.

O que é hipotireoidismo?

O hipotireoidismo é a doença mais frequente da tireoide. Ocorre quando a glândula produz o hormônio tiroidiano em quantidades insuficientes. Trata-se de uma enfermidade muito comum, atingindo mais mulheres do que homens (proporção de 4:1),aumentando a incidência, principalmente após os 40 anos.

Quais são as causas do hipotireoidismo?

Existem várias causas que podem ser responsáveis pelo desenvolvimento do hipotireoidismo. A principal delas é a tireoidite de Hashimoto, também chamada de autoimune, devido ao fato do próprio organismo desencadear um processo de destruição gradual da tireoide. Outras causas incluem a deficiência de iodo na dieta, uso de certos medicamentos, deficiência congênita (algumas crianças nascem sem a glândula ou com ela já deficiente), pós-radioterapia do pescoço, etc.

Sinais e sintomas

Existem vários e podem estar presentes ou não, dependendo de cada caso. Dentre eles estão: sensação de fraqueza e cansaço, dificuldade de concentração, desânimo, depressão, pele ressecada, constipação intestinal, aumento de peso, unhas fracas, queda de cabelo, níveis de colesterol elevado, irregularidade menstrual e intolerância ao frio. 

Como diagnosticar?

Um exame de sangue pode comprovar o diagnóstico de hipotireoidismo. A dosagem de TSH (hormônio estimulador da tireoide, produzido por outra glândula, a hipófise) mede a quantidade deste hormônio circulante. O TSH aumentado pode significar que a tireoide não está produzindo adequadamente os hormônios T3 e T4. O teste do pezinho exame realizado em recém-nascidos na própria maternidade, diagnostica precocemente o hipotireoidismo congênito. Outros exames, como dosagem de anticorpos antitireoglobulina e antiperoxidase (anti-TPO) também podem ser solicitados, no caso da suspeita tireoidite de Hashimoto.

Referências bibliográficas

Vaisman M. Doenças da tiroide 1ª ed. Rio de Janeiro. Ed. Atheneu: 2003.Wang C. Crapo LM Endocrinold. Metb Cllin North Am. 1997; 26 (1): 189-218.

Material destinado ao público geral.

Publicado em fev/2015 │Revisado em dez/2020

Cód. BRZ291659-2

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Ao decidir continuar a navegar neste site, você concorda em aceitar o uso de cookies pela Abbott, consulte nossa Política de Privacidade para obter mais informações. Verifique também a atualização do Regulamento do Programa e nossos Termos e Condições.
Sim, concordo
Política de Privacidade