O que é vertigem?

O que é vertigem?
Pacientes com vertigem muitas vezes podem evitar atividades sociais por receio de crises

Vertigem como um sintoma de tontura

Vertigem uma sensação de falso movimento, descrito na maioria das vezes pelos pacientes como uma sensação giratória na cabeça, mas às vezes como uma sensação de inclinação. Pode ser acompanhada por falta de equilíbrio, pré-síncope, e sensação de como se fosse cair1.

Pré-síncope significa sentir-se como se fosse cair ou uma sensação de desmaio iminente1. Como ela causa uma perda do equilíbrio, uma de suas consequências mais prováveis é a queda. Desequilíbrio como uma sensação de falta de estabilidade e instabilidade postural é um gatilho importante de vertigem1.

A vertigem pode ter muitas formas2:

  • Alguns pacientes apresentam um breve episódio de sensação de estar girando, que dura apenas alguns segundos.
  • Alguns pacientes apresentam menor frequência, mas os ataques são moderadamente graves em relação aos sintomas.
  • Para algumas pessoas, a vertigem pode ser grave e ocorrer frequentemente, afetando suas atividades cotidianas.

A maioria dos pacientes apresenta um ataque de vertigem que dura apenas alguns segundos, mas mesmo uma sensação breve de estar girando, tremendo, ou caindo, pode ser aterrorizante. O medo de que isso possa acontecer novamente pode impedir as pessoas de realizar suas tarefas rotineiras, como dirigir e atravessar a rua.

Causas

Vertigem é mais frequentemente causada por distúrbios no ouvido interno. Se ela surge de um distúrbio do ouvido e das estruturas circundantes, é chamada de vertigem periférica³. Os tipos de vertigem periférica mais comuns são os seguintes4:

  • Vertigem posicional paroxística benigna – quando movimentos específicos da cabeça causam vertigem.
  • Labirintite – uma infecção do ouvido interno desencadeada por um resfriado ou vírus da gripe.
  • Doença de Ménière – uma condição rara do ouvido interno que às vezes envolve um zumbido no ouvido (tinido ou tinnitus) ou perda de audição.

Veja mais sobre os fatores que podem desencadear a vertigem aqui.

A vertigem também pode ser um sintoma de muitas condições, algumas das quais podem ser perigosas. Se você apresentar vertigem, o primeiro e mais importante passo é discutir o problema com um médico. Ele será a melhor pessoa para encontrar a causa e ajudar você a prevenir futuros ataques!

Sintomas

Geralmente, a vertigem se manifesta com os seguintes sintomas5:

  • Tontura ou uma sensação de estar girando 
  • Sensação de que vai cair ou cabeça leve
  • Problemas de equilíbrio
  • Náusea — ânsia de vômito
  • Enxaqueca

Muitos exercícios podem ajudar a controlar a vertigem e reduzir a frequência de ataques. Exercícios de sentar, levantar e andar envolvendo movimentos da cabeça e olhos podem ajudar a preveni-la.6

No caso de sintomas mais graves, como visão dupla, tinido nos ouvidos (ou até surdez), dificuldade para falar, caminhar ou engolir você deve buscar ajuda médica urgentemente.

Vertigem pode resultar em dificuldades psicológicas

Devido ao risco de cair, a vertigem tem um impacto psicológico significativo nas pessoas. Ela pode causar angústia e ansiedade consideráveis devido ao medo de cair, e fadiga causada por sua imprevisibilidade e incapacidade de ser controlada. Pode também criar um medo de lugares públicos e abertos e estar nessas situações pode induzir ataques de pânico e depressão7. Consequentemente, a vertigem crônica pode resultar em dificuldades em todos os aspectos da vida social, seja no ambiente profissional ou pessoal. 

Os pacientes podem ter um medo da vertigem em si ou das restrições médicas associadas. Pacientes com esta condição podem evitar atividades como sair sozinhos para se encontrar com os amigos, dirigir até a casa de parentes, o que resulta em uma sensação de isolamento social e abandono de situações sociais7. Por exemplo, um paciente pode se sentir estressado e apresentar pânico ao levar seus filhos ou netos a um parque ou praticar esportes com eles. Pessoas que sofrem de vertigem evitam eventos, como ir ao teatro, cinema, ou shows. Os pacientes perdem suas atividades que prezavam e podem se tornar receosos de não agradar as pessoas ou ser estigmatizados, o que pode aumentar ainda mais a ansiedade e a depressão. 

No caso de experiências psicológicas como estas, é importante que os pacientes falem abertamente e discutam seus pensamentos com o médico, família e amigos para obter suporte.

Referências:

  1. Salvinelli F, Firrisi, M Casale, M Trivelli, L D’Ascanio, F Lamanna, F Greco, Costantino S. “What is vertigo?” Clin Ter. 2003; 154 (5): 341-348.
  2. Bateman K, Rogers C, Meyer E. An approach to acute vertigo. S Afr Med J. 2015;105(8):694. 
  3. RACGP – An approach to vertigo in general practice. https://www.racgp.org.au/afp/2016/april/an-approach-to-vertigo-in-general-practice/. Published 2020. Acessado em Junho/2021.
  4. NHS. Vertigo. nhs.uk. https://www.nhs.uk/conditions/vertigo/. Publicado em 2020. Acessado em Junho/2021.
  5. Victoria State government. Vertigo (BPPV). https://www.bettersafercare.vic.gov.au/sites/default/files/2019-07/Vertigo.pdf. Publicado em 2020. Acessado em Junho/2021.
  6. Umc.edu. Vestibular exercises. https://www.umc.edu/Healthcare/ENT/Patient%20Handouts%20-%20ENT/Otology%20Handhouts/vestibular-exercises-2016.pdf. Publicado em 2020. Acessado em Junho/2021.
  7. Yardley L, Todd A, Lacoudraye-harter M, Ingham R. Psychosocial consequences of recurrent vertigo. Psychol. Health. 1992;6(1-2):85-96. 

Material destinado ao público em geral.

Junho/2021

BRZ2186400