Tratamento de Osteoartrite - Alimentação a:care Abbott

icon

Tratamento de Osteoartrite - Alimentação

Alimentação

Conhecendo a Osteoartrite

A osteoartrite caracteriza-se pelo desgaste da cartilagem das articulações de qualquer parte do corpo, principalmente dos joelhos, quadris, coluna e mãos. Conhecida também por osteoartrose, artrose ou doença articular degenerativa, a osteoartrite é atualmente a doença articular mais frequente nos idosos, mas pode atingir pessoas de qualquer idade. O envelhecimento e a obesidade são os dois principais fatores de risco para a ocorrência de osteoartrite.1

A prática de exercícios físicos após avaliação médica e a manutenção do peso ideal são uma das melhores maneiras de prevenção da osteoartrite. Quando necessário, fisioterapia e medicamentos também poderão fazer parte do arsenal para a manutenção da saúde das articulações. O excesso de peso sobrecarrega e pode desgastar as articulações dos joelhos, pés, quadris e coluna.2

Além da prática regular de atividade física, se você estiver acima do peso, uma alimentação balanceada é uma medida fundamental no tratamento da osteoartrite. Tendo em vista que a osteoartrite é caracterizada pelo desgaste das principais articulações do corpo, manter-se com um peso saudável e ativo é a melhor forma de prevenção.

Orientações para uma dieta balanceada

De maneira simplificada, quem precisa emagrecer deve:

  • Reduzir o consumo de alimentos com maior concentração calórica, como óleos, manteiga, margarina, maionese, frituras, doces, mel, refrigerantes, caldo de cana e balas.
  • Gorduras saturadas e trans devem ser evitadas por causarem inflamação e colaborarem para o ganho de peso. A leitura do rótulo de produtos industrializados permite saber se aquele alimento contém gordura trans.
  • Parar ou reduzir drasticamente o consumo de bebidas alcoólicas que têm valor calórico alto e maior tendência a formar adiposidade, que é o acúmulo de gordura nos tecidos.
  • Consumir alimentos ricos em fibras vegetais, como hortaliças, frutas e leguminosas.
  • Fracionar a alimentação, fazendo refeições em intervalos regulares. Longos intervalos entre as refeições aumentam a voracidade.
  • Não se deitar com fome. Durante o sono o período de jejum é muito prolongado.
  • Beber água enquanto come ajuda a dar plenitude e reduzir a ingestão alimentar.3

Manter uma alimentação saudável auxilia na redução e na manutenção do peso corporal, o que pode ajudar muito para a melhora das articulações que estão comprometidas.

Importância da dieta na osteoartrite

É fundamental manter uma alimentação equilibrada e variada no dia a dia. Ao consumir diferentes grupos de alimentos, oferecemos ao corpo os nutrientes necessários para manter suas funções vitais, o que inclui o fortalecimento da imunidade e a redução de fatores de inflamação, que contribuem para as crises de dor, endurecimento e inchaço nas articulações.3

Estudos indicam que a ingestão de cálcio, ômega 3, das vitaminas D, B6 e ácido fólico, e também de antioxidantes, como vitaminas C, E e betacaroteno (pró-vitamina A), reduz o risco de progressão da doença e a formação de fatores de inflamação. O consumo diário de vitamina E parece diminuir a dor em pacientes com osteoartrite.4

Tipos de alimentos e osteoartrite

Na tabela a seguir estão relacionados os alimentos e respectivos nutrientes que devem ser preferidos, e os que devem ser evitados para quem está acima do peso.

Prefira

Evite

Betacaroteno e vitaminas B6 e ácido fólico: encontrados na maior parte das hortaliças (verduras e legumes) enas frutas.4  Gordura saturada: a maior concentração se encontra em queijos gordos, cortes bovinos mais gordurosos (picanha, fraldinha, costela etc.), peles de aves, embutidos (presunto, apresuntado, salame, mortadela etc.),manteiga, creme de leite e gordura de côco.

Vitamina C: frutas cítricas (laranja, tangerina, morango, goiaba) e os vários tipos de tomate

Gordura trans: presentes em alimentos industrializados, como salgadinhos e batatas de pacote, margarina,biscoitos recheados e pães.
Cálcio: melhores fontes são leite, queijos, iogurte e coalhada. As fontes vegetais apresentam uma forma de cálcio de baixa absorção durante a digestão. Dê preferência às formas com menor teor de gordura

 

Vitamina D: a melhor forma de obter esta vitamina é através da exposição ao sol do início da manhã

 

Vitamina E: encontrada em nozes, amêndoas, castanhas, abacate, semente de girassol, germe de trigo, grãosintegrais, peixes e vegetais verdes folhosos 

 

Ácido graxo ômega 3: encontrado nos óleos de soja e canola, bem como nos peixes gordos, como sardinha,atum e salmão 

 

   

Conclui-se que a melhor alimentação é aquela que contém alimentos naturais e minimamente processados.

Referências:

1. Sociedade de Reumatologia do Rio de Janeiro (SRRJ). Rio de Janeiro: SRRJ; Acesso em 2018 outubro 22. Doenças reumáticas – Osteoartrite (Artrose). Disponível em: https://reumatorj.provisorio.ws/publica/reumatismo/artrose/

2. Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Obesidade e Doenças Associadas. Acesso em outubro/2018. Disponível em: https://www.abeso.org.br/pdf/Artigo%20-%20Obesidade%20e%20Doencas%20associadas%20maio%202011.pdf.

3. Mahan LK, Escott-Stump S, Raymond JL. Krause Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 13ª ed. São Paulo: Elsevier;2013.

4. Ameye LG, Chee WS. Osteoarthritis and Nutricion. From nutraceuticals to functional foods: a systematic review of the scientific evidence. Arthritis Research and Therapy. 2006;8(4):127.

Nutricionista Responsável: Celeste Elvira Viggiano - Nutricionista CRN 0427- 3ª. Região SP.

Material educativo destinado para o público em geral.

O conteúdo descrito reflete exclusivamente a opinião ao autor e não necessariamente a opinião da Abbott Laboratórios do Brasil Ltda .

Novembro 2018

BRPIA181042