Por que a adesão ao tratamento é importante no manejo da dislipidemia?

Mulher com mapa nas mãos sentada viajando de trem olha pela janela
Adesão não é apenas tomar o medicamento. Também significa adotar um estilo de vida saudável.

O medicamento não irá funcionar a menos que seja tomado1. Isso pode parecer óbvio mas, ainda assim, a cada segundo um paciente não está tomando seu medicamento adequadamente. Mas qual o significado e a importância de aderir ao tratamento da dislipidemia?

Adesão é o grau segundo o qual um paciente segue a prescrição de um médico2. Em um paciente com dislipidemia, aderir significa controlar seus níveis lipídicos.Veja como melhorar a aderência ao tratamento:

  • Comece o tratamento: Se os seus exames de perfil lipídico exibirem resultados preocupantes, pode ser necessário começar o tratamento (que deve ser discutido com seu médico). É importante conversar com o médico de forma que ele possa encontrar o melhor tratamento para você. Você pode discutir com o médico a importância de aderir ao tratamento da dislipidemia e também:
    • Os benefícios/riscos do tratamento que o médico está oferecendo;
    • Suas preocupações;
    • Desafios que você pode esperar e soluções que podem ser encontradas.

Uma vez que você tiver concordado com um tratamento, inicie-o. É o primeiro passo para manejar sua condição.

Você sabia?

Aproximadamente 50% dos pacientes que sofrem de doenças cardiovasculares não tomam seu tratamento conforme prescrito pelo médico3.
As consequências dessa não adesão à prescrição de um médico podem levar A consequências negativas como infarto do miocárdio
(“ataque cardíaco”) e insuficiência cardíaca3.
  • Siga as instruções do médico em relação a dosagem e frequência do medicamento: dosagens menores do medicamento podem ser ineficientes; uma dosagem maior pode ser prejudicial. Também é importante tomar o medicamento nos intervalos prescritos: se a prescrição for para sete comprimidos por semana, uma vez por dia, tomar sete comprimidos juntos em um dia não significa que você está seguindo o tratamento. Se você omitiu uma dose ou acredita que tem dificuldades para seguir o tratamento da forma correta, soluções sempre existem. Não hesite em contatar seu médico para discuti-las.
  • Tome o tratamento pelo tempo que for prescrito. Se o médico prescrever um tratamento a você por um certo período de tempo, isso significa que o medicamento será eficiente somente se tomado por essa duração. Caso contrário, ele pode ser ineficiente, prejudicial, ou ambos. Alguns pacientes com dislipidemia acreditam que o tratamento não é o mais adequado para ele, o que pode acontecer, de fato. Se esse for o seu caso, não pare de se tratar por conta própria. Converse com seu médico, e descreva a situação para ele. Alternativas sempre existem; você precisa encontrar qual é a certa para você. Uma vez que dislipidemia é muito frequentemente assintomática, os pacientes podem decidir parar o tratamento porque eles acham que o problema de colesterol alto está terminado, enquanto ele ainda não está. Comunicar-se regularmente com seu médico sobre os resultados do exame para acompanhar os níveis de colesterol é necessário para monitorá-los e tomar, junto com seu médico, uma decisão quanto ao tratamento.

Além disso, interromper o tratamento pode anular todos os benefícios que você atingiu até agora. Isso significa que todos os esforços que você fez teriam sido em vão. 

Não se automedique. Os medicamentos tomados da forma correta podem ajudá-lo; medicamentos tomados da forma errada podem prejudicá-lo, uma vez que podem levar a:

  • Efeitos colaterais;
  • Desenvolvimento de novas doenças.

Lembre-se de que adesão não significa apenas adesão ao medicamento. Também significa adotar um estilo de vida saudável. Quando o médico prescreve um medicamento a você e mudanças de estilo de vida, isso frequentemente significa que os resultados de seu tratamento de colesterol podem não ser obtidos a menos que você faça ambos. Por exemplo, moderar o consumo de gorduras ruins, álcool ou açúcar em excesso é essencial quando você sofre de níveis elevados de colesterol5,6

A adesão pode economizar dinheiro no tratamento da dislipidemia

Aderir ao tratamento e controlar a dislipidemia é o melhor investimento que você pode fazer (como todos os investimentos em sua saúde, nesse sentido). Isso pode permitir que você evite alguns problemas de saúde debilitantes, como insuficiência cardíaca ou infarto (“ataque cardíaco”). Um estudo da OECD (Organisation for Economic Co-operation and Development) calculou que 1 dólar americano investido na compra e administração de um medicamento pode economizar a você 4 dólares americanos por causa do manejo de consequências evitáveis com o tratamento correto4

Entender a importância de aderir ao tratamento da dislipidemia é fundamental. Sempre que você sentir dificuldade para aderir ao tratamento, discuta-a com seu médico. Juntos vocês sempre encontrarão soluções para superar os problemas. E não tome nenhuma decisão sozinho sobre o tratamento, uma vez que você pode perder todos os benefícios do tratamento administrado e se prejudicar. 

Controle seu colesterol, não permita que ele controle você   

Se estiver apresentando dificuldade para aderir ao tratamento, consulte o médico. Discuta com ele as ações que você pode adotar para melhorar sua adesão ao tratamento. Não inicie, descontinue ou altere um tratamento sem prescrição de seu médico. 

Referências:

  1. Lindenfeld J, Jessup M. ‘Drugs don’t work in patients who don’t take them’. Eur J Heart Fail 2017;19(11):1412-1413
  2. Jimmy B, Jimmy J. Patient medication adherence: Measures in daily practice. Oman Med J 2011; 26(3): 155–9. 
  3. Kronish I, Ye S. Adherence to Cardiovascular Medications: Lessons Learned and Future Directions. Prog Cardiovasc Dis 2013; 55(6):590-600. 
  4. OECD. Investing in medication adherence improves health outcomes and health system efficiency. https://www.oecd-ilibrary.org/social-issues-migration-health/investing-in-medication-adherence-improves-health-outcomes-and-health-system-efficiency_8178962c-en . Publicado em 2020. Acesso em Junho/2021.
  5. DiNicolantonio J, Lucan S, O’Keefe J. The Evidence for Saturated Fat and for Sugar Related to Coronary Heart Disease. Prog Cardiovasc Dis 2016;58(5):464-472. 
  6. American Addiction Centers, Alcoholism and Health Issues: Cholesterol, Triglycerides, the Liver, and More, https://americanaddictioncenters.org/alcoholism-treatment/health-issues  Publicado em junho de 2020, Acesso em Junho/2021.

Material destinado ao público em geral.

Junho/2021

BRZ2186399