Contracepção e a pele - a:care Abbott

Contracepção e a pele

alt

Saúde Feminina

Diálogo entre médica e pacientes sobre os benefícios do uso de contraceptivos para a pele.

alt
alt

Isabel.Silva: #Dois objetivos: uma única solução. Vamos combinar que, nos dias de hoje, temos opções para evitar a gravidez. Desde a adolescência, há vários métodos contraceptivos para se proteger.

A vantagem dos recursos #contraceptivos modernos é a possibilidade de você resolver vários problemas com soluções bem simples. Por exemplo, além de #prevenir uma gravidez não planejada, alguns contraceptivos orais produzem efeitos adicionais benéficos, como a #melhora da pele. Assim, você pode ter uma #vida sexual livre e #continuar bem. Mas lembre-se, independentemente do método contraceptivo escolhido, nunca se deve ter uma relação sexual sem a proteção da camisinha, mesmo que você conheça a pessoa.

VanessaS2: Afinal de contas, o que é contracepção?

Dra. Flávia: Contracepção é evitar a gravidez. E, para isso, existem vários recursos simples e bem eficientes, como: # Os métodos de barreira - camisinha (masculina e feminina), diafragma, dispositivo intrauterino (conhecido como DIU); # Os métodos hormonais - anticoncepcional oral (pílula), injeção, adesivo, implante, anel vaginal. Já # Os métodos definitivos (cirúrgicos) - laqueadura e vasectomia.

Isabel.Silva: Ok!

Dra. Flávia: Também existem métodos bem menos eficientes e antigos, como o uso de espermicidas (substância química que destrói os espermatozoides), tabelinha, observação do muco cervical e coito interrompido – que apresentam um alto índice de falha, ou seja, a chance de engravidar é maior com estes métodos. Além do mais, estes métodos não impedem a transmissão de doenças sexuais, como a AIDS, por exemplo, que somente podem ser evitadas com o uso da camisinha.

Nanda_Blue: Mas qual o melhor método de contracepção?

Isabel.Silva: Não existe uma única indicação. O melhor método contraceptivo é aquele que combina mais com sua saúde, sua rotina e seu estilo de vida. Converse francamente com seu ginecologista. Só assim você pode decidir quais as melhores opções para seu caso.

Dra. Flávia: Um dos métodos mais utilizados até hoje são os anticoncepcionais orais, a antiga pílula, porque:

Há facilidade de uso – basta tomar um comprimido por dia;

Há uma grande margem de proteção – 99%, quando usado corretamente;

Quando quiser um bebê, é só parar de tomar a pílula.

VanessaS2: Fala sério, pílula?

Isabel.Silva: O termo já é meio antigo. Afinal, ela surgiu na década de 1960. Hoje é supernormal falar em anticoncepcional oral (é assim que os médicos chamam a pílula agora).

Dra. Flávia: Isso mesmo @Isabel.Silva. Claro que, com o tempo, a pílula evoluiu. Este é o método reversível mais utilizado no Brasil. No início, as doses hormonais da pílula eram bem maiores, mas as pílulas modernas utilizam baixas doses hormonais, mantendo a mesma eficácia, o que reduz a chance de aparecimento de efeitos indesejados e aumenta a tolerabilidade de sua utilização por tempo prolongado.

Além disso, alguns anticoncepcionais orais apresentam outros efeitos positivos para o organismo feminino, como ajudar a melhorar a qualidade da pele e reduzir sintomas físicos da menstruação. Esse é o caso de alguns anticoncepcionais orais que contêm substâncias que ajudam no tratamento da acne, por exemplo.

Isabel.Silva: Opa, anticoncepcional oral pode melhorar a pele?

Dra. Flávia: Pode sim. Alguns anticoncepcionais podem reduzir a oleosidade da pele e o aparecimento da acne, pois conseguem reduzir significativamente os efeitos dos hormônios androgênicos (hormônios masculinos) relacionados ao aparecimento da acne, da oleosidade e dos pelos (hirsutismo).

 

Tina_Lima: Como assim, acne?

Dra. Flávia: @Tina_Lima A acne é uma doença de pele bem comum. A pele fica oleosa, com cravos brancos ou com pontas pretas, espinhas e nódulos avermelhados que podem até ser dolorosos. Embora ela seja associada à adolescência, pode aparecer em qualquer fase da vida e em diferentes graus. Existem casos graves, em que ficam cicatrizes e marcas na pele. Infelizmente, as mulheres são as maiores vítimas da acne.

A acne aparece mais na adolescência, porque essa é uma fase de muitas mudanças no organismo, é o início da atividade hormonal. É aí que começa a produção de hormônios sexuais – andrógenos e estrógenos – que alteram a qualidade da pele

Isabel.Silva: Para ajudar, a acne aparece mais no rosto. E deixa de ser apenas um problema de pele para se tornar um problema emocional, porque a aparência é motivo de insegurança, baixa autoestima e tristeza para qualquer um.

Dra. Flávia: É isso mesmo Isabel! Por isso a acne deve ser tratada assim que aparecer na pele. Alguns anticoncepcionais orais são particularmente indicados para quem sofre de acne, pois podem ajudar a equilibrar os ciclos hormonais. Nem todos os anticoncepcionais são aliados no tratamento da acne, e somente o ginecologista pode indicar qual o melhor anticoncepcional para você.

Isabel.Silva: Neste caso, o papo é com o ginecologista ou com o dermatologista?

Dra. Flávia: Seria bacana procurar os dois especialistas. Eles trabalham em conjunto. Converse primeiro com o ginecologista – ele vai indicar o medicamento mais adequado, que ajude a controlar os problemas hormonais. Depois, você vai ao dermatologista. Informe o nome do anticoncepcional que está tomando e pergunte que cuidados adicionais você precisa ter com a pele, como limpeza diária com o produto certo para seu tipo de pele, hidratação, e o uso de filtro solar adequado que protege a pele e evita manchas permanentes causadas pelo sol.

A acne deve ser tratada o mais cedo possível. É comum as pessoas acharem que é “coisa da idade e com o tempo passa”, mas manter a acne sob controle é recomendável não só por causa da aparência, mas também para preservar a saúde da pele e a saúde psíquica. Além do mais, ajuda a prevenir cicatrizes (marcas da acne) que são muito difíceis de corrigir.

Nanda_Blue: Ah tá.... mas como o anticoncepcional oral funciona no organismo?

Dra. Flávia: A principal atividade do anticoncepcional oral é inibir a ovulação. Os anticoncepcionais orais combinados contêm dois hormônios sintéticos – o estrogênio e o progestagênio. Tomar o anticoncepcional corretamente diminui a produção de outros hormônios responsáveis pela ovulação. É como se o anticoncepcional oral conseguisse deixar os ovários em repouso.

VanessaS2: E não tem risco?

Dra. Flávia: Todo contraceptivo oral pode causar algum efeito indesejado. A maioria deles desaparece com o tempo. Mas é muito importante que você converse com seu médico antes do início do uso de qualquer contraceptivo oral e lembre-se de falar para ele se você fuma, tem diabetes, enxaqueca, epilepsia, pressão alta, ou se qualquer familiar direto já teve um coágulo – trombose nas pernas, pulmões (embolia pulmonar) ou qualquer outra parte do corpo –, ataque cardíaco ou derrame quando jovem.

Isabel.Silva: Os relatos mais comuns são: dor de cabeça, enjoo e dor nas mamas. Os médicos sabem isso e, na hora de indicar um anticoncepcional oral, consideram o que chamam de relação risco/benefício. Isso quer dizer que pesam as vantagens sobre as desvantagens do medicamento antes de prescrevê-lo.

Dra. Flávia: Entre as vantagens dos anticoncepcionais orais estão: a prevenção da gravidez não planejada; o controle dos efeitos androgênicos (que provocam acne, oleosidade, excesso de pelos); o controle do fluxo menstrual; e a prevenção de quadros mais sérios, como cistos e até câncer de ovário. Mas lembre-se: mesmo usando anticoncepcionais orais você precisará também usar a camisinha, pois ela te ajuda a se proteger das Doenças Sexualmente Transmissíveis e AIDS.

"Lembre-se: anticoncepcional serve para evitar gravidez, mas não para evitar Doenças Sexualmente Transmissíveis e AIDS. Por isso, #não se esqueça de usar também a camisinha."

"#Fala sério! Se o anticoncepcional puder tratar sua pele, melhor. Pergunte sobre isso a seu médico."

"Nunca tome um anticoncepcional indicado por um balconista da farmácia. Apenas seu ginecologista pode indicar o medicamento certo para você. #Não corra riscos."

"Para escolher a melhor forma de proteção, #vá ao ginecologista. Só ele pode ajudar você a escolher o método mais adequado para sua idade, saúde e estilo de vida."

"Nunca tome um anticoncepcional indicado pela sua amiga. O que é bom para ela pode não ser bom para você."

"Se você não está a fim de ser mamãe tão cedo, tome providências. #Invista em proteção."

Referências bibliográficas

Consultora Médica: Dr. Flávia Raquel Rosa Junqueira - CRM-SP 101-066

Material destinado ao Público em Geral.

BRWH190152b - Abril/2019